quarta-feira, 30 de setembro de 2009

“A arte de governar” – Claudio de Moura Castro

Deixo o texto para reflexão dos leitores. Será que serve de apoio e uma nova construção para os políticos locais ?

"A história classifica como estadistas aqueles que perceberam
as reais necessidades do país, assumiram o risco da impopularidade
no curto prazo, mas souberam vender suas ideias com sucesso"

Nas democracias, o governo cumpre os desígnios dos cidadãos. O povo diz o que quer, o governante executa. Parece uma receita infalível. Mas será? Em cidade relativamente próspera de Minas Gerais, uma pesquisa de opinião mostrou que três quartos dos jovens reclamavam da falta de diversões. Apesar de os esgotos serem jogados in natura nos córregos, nem mesmo entre os adultos houve reclamações quanto à falta de tratamento de efluentes. Sabidamente, esse é o investimento que mais faz cair a mortalidade infantil. O que deve fazer o prefeito? Esgotos que salvam vidas ou espetáculos de música sertaneja que trazem votos?

Um livro recente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Understanding Quality of Life, mostra abundantes estatísticas sobre o que os latino-americanos mais valorizam. Nelas fica claro o conflito entre o que as pessoas querem e o que é necessário para garantir um futuro promissor para o país. Pesquemos alguns temas do livro. As pessoas querem medicina de alta tecnologia e atendimento hospitalar. Contudo, a saúde pública preventiva é mais barata e evita as doenças. Verificou-se também que o estado de saúde das pessoas pouco se associa com as suas percepções de saúde. No Brasil, pobres e ricos estão igualmente satisfeitos com os serviços de saúde. Mas sabemos serem piores para os pobres. Nos países mais ricos da América Latina, há mais contentamento com a situação da saúde. No entanto, quando o país cresce, baixa essa satisfação. Não dá para entender. No Brasil, 65% dos entrevistados estão satisfeitos com a educação. Somente os mais educados percebem como ela é ruim. De fato, sabemos ser péssima a sua qualidade: último lugar no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2001. Ainda pior, entre 1980 e 2000, em um grupo de 35 países, o Brasil foi o que mais recuou de posição.

                                                       Ilustração Atômica Studio

Na área econômica, as percepções também estão desalinhadas com a realidade. Mais renda se associa a mais satisfação. Até aqui, vamos bem. Mas o crescimento econômico traz desagrados. Entre outras coisas, requer mudança de políticas, reformas e outros sustos, mais temidos do que a pobreza. Apesar de o desenvolvimento econômico acabar beneficiando os pobres, são eles que mais resistem às mudanças. Ademais, têm uma opinião mais ingênua acerca da competência do governo. Nessa área, entra em cena um mecanismo maldito. As aspirações crescem mais rápido do que a renda.

Em suma, os governados indicam aos governantes algumas prioridades incompatíveis com o progresso. Pensam no curto prazo e são consumistas impenitentes. Dizem que querem sistemas de saúde mais caros (e mais ineficientes). Querem conforto nas escolas e desdenham mais aprendizado. Não querem as reformas econômicas imprescindíveis para crescer.

A reação mais imediata diante dessa miopia nas preferências é perguntar se não seria a melhor receita um governo autoritário, do tipo "déspota esclarecido". Contudo, como Churchill nos advertiu, a democracia é um péssimo sistema de governo, com a agravante de que não há outro melhor. A experiência com déspotas de todos os sabores não mostra um bom registro histórico. Quando acertam aqui, acolá cometem um erro mais estrondoso. Não é por aí. Temos de insistir nos acertos capengas que nos oferece um sistema democrático e na tentativa de esclarecer a opinião pública.

Os governantes se equilibram em um terreno resvaladiço. Se tentam oferecer o que trará mais progresso e desenvolvimento, sem ouvir o povo, arriscam-se a perder sua popularidade e, com ela, seu poder de implementar reformas. Podem acabar execrados e sem reformas (veja-se Jimmy Carter). Governos populistas fecham as portas para o futuro se jogam confete ao povaréu ou alimentam seus anseios imediatistas. Os exemplos latino-americanos estão nos jornais. Em contraste, governantes bem-sucedidos não perdem a ressonância com a sociedade, mas negociam também uma agenda de futuro.

A história classifica como estadistas aqueles que perceberam as reais necessidades do país, assumiram o risco da impopularidade no curto prazo, mas souberam vender suas ideias com sucesso. Na teoria, a receita é simples: visão, coragem e liderança. A pílula pode ser amarga. Churchill jogou pesado quando ofereceu aos ingleses apenas "sangue, suor e lágrimas". Mas ganhou. Pena que não adianta colocar um anúncio classificado do tipo "Precisa-se de um estadista".

Claudio de Moura Castro é economista
claudio&moura&castro@cmcastro.com.br

AEB e FAGA realizam a II Semana do Empreendedor

    A partir de hoje (28), até o dia 02 de outubro, acontece a II Semana do Empreendedor. O evento é realizado pela Autarquia Educacional de Belo Jardim (AEB/Fabeja), em parceria com a Faculdade de Administração de Garanhuns (Faga), por iniciativa dos cursos de Administração das duas Faculdades.
   Nos cinco dias de evento, haverão palestras gratuitas, apresentações culturais e feira de Negócios, que abrirá espaço para mais de 20 expositores de diversas áreas, como confecções, artesanato, serviços e alimentos. A intenção do evento é despertar o empreendedorismo e incentivar asempresas do Agreste.
    A abertura e o encerramento evento será na quadra da faculdade. Já nos outros dias, o auditório sediará as atividades. Os cursos são coordenados pelos professores Wellber Van Thieu Albuquerque Borges e Rafaella Natália Alves da Silva e as inscrições são feitas no dia. Confira as programação completa:

Segunda-feira, 28 de setembro
19h Abertura Solene
Composição da Mesa
Apresentação Cultural - Grupo de Dança Folclórica de Sanharó
19h30 Palestra de Abertura
Tema: “A Competição no Trabalho nas Organizações Contemporâneas” / Palestrante: Prof. Ms. Alexandre Nunes


Terça-feira, 29 de setembro
19h Exposição e Feira de Negócios
19h30 Palestra
Tema: LOGÍSTICA - Conceitos, definições, desafios da atividade: Um estudo de caso sobre a importância da Logística numa Indústria de autopeças / Palestrante: Walderik Severo – Grupo Moura


Quarta-feira, 30 de setembro
19h Exposição e Feira de Negócios
19h30 Palestra
Tema: O Perfil do Novo Administrador / Palestrante: Robson Galindo – Grupo Moura (Recomendo a todos) !!!!!


Quinta-feira, 01 de outubro
19h Exposição e Feira de Negócios
19h30 Palestra
Tema: Marketing no Varejo / Palestrante: Prof.Esp. Herton Handyson Freitas


Sexta-feira, 02 de outubro
19h Apresentação Cultural – Orfeão de Cordas
19h30 Palestra de Encerramento

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Belo Jardim na rota do Programa de Turismo

A cidade de Belo Jardim sedia entre os dias 22 à 24 de setembro de 2009 o programa da Rota de Turismo promovido pelo Governo do Estado em parceria com a Prefeitura Municipal de Belo Jardim mais diretamente ligada a Secretaria de Cultura e Paisagismo.Diversos 037

O programa lançado pela Secretaria de Turismo intitulado “PE conhece PE” tem atingindo bons números em três aspectos:

1 – Financeiros (Investidores estrangeiros e locais tem se mostrado entusiasmados com o nosso estado, por ter obtido excelentes números em cifras financeiras pela potencialidade e pelo desenvolvimento local de acordo com informações divulgadas através das mídias) ;

2 – Social (A idéia de implentar a valorização do nosso estado através de campanhas publicitárias envolvendo um conjunto de obras que busca conscientizar os pernambucanos a realizar um turismo local);

3 – Infraestrutura ( Os turistas que visitam o nosso estado desejam e pagam pela qualidade dos serviços e, isso tem sido feito através de parcerias entre instituições do Diversos 046sistema “S”  através de capacitações e treinamentos nas cidades pólos para o turista. Outro ponto a ressaltar é a proposta de interiorização. Que deverá ganhar uma maior notoriedade através das duplicações das rodovias, novos empredimentos, programas de investimentos para o turismo rural, implantação e a descoberta de novos pontos turísticos e por fim a valorização da cultura e nação pernambucana.Diversos 042

A exposição com a demonstração de peças de artistas locais e de cidades que fazem parte do roteiro está sendo realizado no prédio da Antiga Fábrica Mariola, a partir das 08:00h.Diversos 033 Durante todo o dia, acontece apresentações de artistas locais, apresentações culturais e o encerramento do evento  será marcado pelo lançamento da coleção primavera-verão da estilista mirim Quitéria Andreza.

Não deixem de conferir. 

 

Diversos 040

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Concurso para IBGE - 1.487 vagas para Pernambuco

As pessoas que estão desempregadas temporiamente essa é mais uma chance. E também para os concurseiros de plantão.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abriu desde ontem, 21 de setembro oferece 33.012 oportunidades de nível médio.
Deste total, 1.487 estão destinadas para o estado de Pernambuco.

As vagas estão distribuídas entre os cargos de agente censitário municipal (6.722), agente censitário supervisor (23.900), agente censitário de informática (1.432), agente censitário administrativo (558) e agente censitário regional (400). Os vencimentos variam de R$ 760 a R$ 1.600 e as jornadas de trabalho são de 40h semanais.

Para concorrer, é necessário o candidato acessar o site http://www.cesgranrio.org.br/ até o dia 06 de outubro. O exame contará com avaliações da língua portuguesa, raciocínio lógico, nocções de administração, informática e conhecimentos técnicos (na área que está concorrendo).

Desde já, boa sorte a todos !

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Orfeão de Cordas faz arrastão de forró


Reproduzo matéria publicada no Diario de Pernambuco de hoje, 21 de setembro de 2009.


Allana Faustino tinha apenas nove anos quando tudo começou. Com um grupo de crianças da cidade de Belo Jardim, no Agreste pernambucano, a 187 quilômetros do Recife, ela costumava estudar música ao ar livre, num local chamado Praça dos Eucaliptos. Chovesse ou fizesse sol, eles estavam sempre lá, ensaiando e aprendendo a linguagem musical por meio das cifras. Hoje, a garota de 15 anos toca violão e guitarra no grupo musical Orfeão de Cordas Nivaldo Jatobá, que possui nove integrantes, sob a regência do professor e maestro Dorisvaldo Dantas Paulino. O grupo é a próxima atração do projeto Vitrine, direcionado aos leitores do Diario de Pernambuco e marcado para o próximo dia 28, no Auditório dos Diários Associados, em Santo Amaro.
Grupo se dedica às composições populares e promove pequenas performances enquanto toca Foto: Cezar Salis/DivulgaçãoA primeira aluna deste bem-sucedido projeto de educação musical, Allana Faustino, mostrará junto com o Orfeão de Cordas um legado popular e inusitado. "Nosso repertório é eclético. Os pontos fortes são o arrastão de forró e o pout-pourri de frevo", conta a radialista Damiana Alves Barbosa, 47 anos, coordenadora do grupo musical, que também desempenha o papel de assessora de imprensa.Segundo ela, o projeto - que hoje possui uma sede na comunidade de Santo Antônio, em Belo Jardim - ficou ameaçado de fechar as portas. Recentemente, no entanto, foi amparado pela Fundação Belo Jardim, que reformou a casa onde fica a sede (serviços de pintura e gesso), além de contratar Dorisvaldo Paulino como regente, pois o grupo estava sem maestro. As aulas são gratuitas e acontecem de segunda a sexta-feira, nos três turnos. Atualmente, a escola possui 60 alunos, mas já chegou a ter uma centena. "Também foram doados instrumentos, pois a escola havia sido roubada. Levaram nossa bateria e o som", explica Damiana Barbosa.O nome do grupo, detalha ela, foi escolhido em homenagem a Nivaldo Jatobá, seresteiro belo-jardinense famoso e já falecido. Nivaldo era tio de Vilma Jatobá, presidente da Fundação Belo Jardim. E Orfeão quer dizer coletivo.A apresentação no Recife tem uma hora de duração e inclui músicas conhecidas na voz de Luiz Gonzaga (como Asa Branca e Feira de Caruaru) ou de nomes da MPB, como Geraldo Azevedo (Saudade d'ocê). "Eles sabem tocar muito, mas só agora estou ensinando a teoria musical e a leitura de partituras. Antes, eles só liam cifras. É uma fase de lapidação de talentos", admite o maestro, que está à frente do Orfeão de Cordas há um mês e meio.Uma curiosidade são os números inusitados, pois em uma das músicas eles tocam formando uma corrente, com os seus violonistas com as mãos entrelaçadas. Allana Faustino, a primeira a chegar ao grupo, se destacou tanto que chega a tocar três violões ao mesmo tempo, inclusive com a ajuda dos pés.

sábado, 19 de setembro de 2009

Para refletir …

 

bike1ah0 

"A vida é como andar de bicicleta, para estar em equilibrio tem de estar sempre em movimento." Albert Einstein

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Por quê ? Quem ? Eu ?

Há alguns dias, estou ausente no blog para escrever algo ligado a nossa cidade.
Infelizmente não pude comparecer na Avenida Siqueira Campos para ver os desfiles municipais.
Tenho acompanhado em alguns blogs da cidade comentários sobre a questão da PEC dos vereadores e por enquanto gostaria de saber qual é o maior problema que enfrentamos.
Então resolvi escreve algo para mastigar ainda mais o assunto.

Não consigo entender o porquê de um "zig-zag" nas trocas de informações quanto se trata do interesse público uma vez que, se vier a aumentar o número de vereadores na câmara quem irá pagar os seus salários? Por acaso são eles mesmo ou nós que temos descontos e impostos em tudo que realizamos? (Não quero dizer que eles também não pagam seus impostos, mas o que adianta ficar brigando por questões financeiras?)

A redução em seus salários é igual à redução que nós, trabalhadores sofremos com as cargas tributárias e com os reajustes que nunca são repassados (somente verbais) e nunca chega a nossas mesas. Quando reinvidicarmos os nossos direitos mostramos argumentos para que essa redução salarial seja concretizada. E por qual motivo até agora cobra-se resultados ao invés de deixar tudo às claras e não expõe as contas de modo claro? Afinal quantas pessoas ali trabalham, qual papel elas desenvolvem? Quem é você?

Para finalizar gostaria de comentar que para exigir tanto se deve realizar. Infelizmente o que li no jornal local não me deixou surpreso com o trabalho desenvolvido. Na rápida leitura foi visto que os vereadores em seus requerimentos abrem para votos de aplausos, pesar entre outras coisas. Na verdade, o que eles precisam é ir ao encontro do povo.

De todos os requerimentos datados de 2009 quais foram resolvidos? Quantas foram às ações propostas para resolver os problemas que a cidade de Belo Jardim vem enfrentando nos itens de segurança pública, geração de emprego, qualificação, saúde, infra-estrutura, saneamentos básicos? Quais surtiram efeitos positivos? Se houve retorno negativo de onde partiu? Onde foi parar a tribuna do povo?

Precisamos deixar de lado a questão de quantidade e sim trabalhar para o ponto chave que é a QUALIDADE do serviço.

Como diz a frase do pensador Fernando Sabino: “Democracia é oportunizar a todos o mesmo ponto de partida. Quanto ao ponto de chegada, depende de cada um.”

Será que todos pensam em favor de um denominador comum ?

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Quando morre uma criança

Amigos leitores, gostaria de compartilhar o texto publicado semana passsada na revista veja escrito pela Lya Luft. Algo extraordinário para nossa reflexão.

Deleitem-se com o texto e após sua leitura expresse sua opnião.

“Diz um filósofo que toda morte de uma criança é a refutação da existência de Deus. Eu acho que cada morte de uma criança enfatiza o mistério no qual estamos mergulhados, e que não é silencioso: ele fala alto. Então nos atordoamos para não ouvir, fugimos dele para não o perceber, recorremos a mil atividades e distrações numa agitação insana – horários, compromissos e prazeres, buscamos e perdemos, corremos e não chegamos nunca, nem sabemos aonde queremos ir.
Eu nunca tinha visto uma criancinha morta. Nunca tinha ido ao velório de uma, e quase me acovardei, quase não fui. Mas o carinho pela família, e por essa menininha que tantas vezes vi correndo e brincando, com a qual tive alguns diálogos deliciosos, me deu coragem. E fui. Alguém murmurou: parece uma boneca numa caixinha. Ela, a pequena, serenada do sofrimento que ocupou quase todo o espaço dos seus poucos anos, dormia o seu sono enigmático. Nós, adultos de todas as idades, chorávamos. Uns pela perda da pessoazinha amada, outros condoídos pela dor dos amigos, outros, ainda, esmagados pela fragilidade que a doença, o sofrimento e a morte nos fazem sentir.
Amor e devoção imensos iluminaram a vida dessa criança e a todos ao redor. Esse foi talvez o legado maior que a menininha que partiu nos deixou: ao lado da dor e da aniquilação, do desespero e do medo, também existem o bom, o belo, o forte, o amoroso, a devoção e a lealdade – mesmo que tanta coisa fora de nós, de nossa casa e nossas amizades nos pareça decadente ou ameaçadora. Pois todo dia ao acordar somos assaltados por notícias que causam melancolia ou indignação, visões de cinismo, conchavos perversos, desprezo pela honra e falta de modelos positivos. Pouco se faz. Nada se faz. Vivemos ao ritmo desse triste refrão: "as coisas são assim mesmo", "é a vida", "política é isso", "impossível administrar a violência", "o narcotráfico manda em toda parte", "uma maconhazinha só não faz mal", "ninguém tem nada a ver com minha vida", "não adianta querer mudar", e assim por diante.
Por toda parte, famílias em crise. Pais omissos ou ocupados demais não sabem o que fazem filhas de 10 anos em festinhas sem o cuidado de adultos; pré-adolescentes transam, curtem bebida, maconha ou drogas pesadas, depois que o primeiro cigarrinho abriu as portas. Numa grande festa, jovenzinhos bêbados ou drogados vomitam ou dormem nos banheiros de um clube elegante. Adultos passam cuidando para não sujar os sapatos. Só acontece algo quando uma dessas crianças passa realmente mal, e é preciso chamar a ambulância. Onde estão os pais? Vão me achar rigorosa demais, mas eu insisto: onde estão os pais? Sabem onde andam os filhos, com quem convivem nas longas horas fora de casa, têm consciência do quanto são responsáveis? Este é um dos dramas da maternidade e paternidade: teve filho, é responsável. Quem ama cuida. E que seja com alegria, ou não vale. Não funciona. É de mentira.
Escrevo essas coisas rudes, pelo seu contraste com meu verdadeiro assunto: uma criança, enferma a maior parte de sua vida, e sua família provaram que neste mundo também existe verdadeiro amor, que é dedicação. Sem saber, ela ensinou os outros a ser ainda mais unidos e mais amorosos, eles que tudo dariam para preservar a luz daquele seu tesouro, mas tiveram de se render ao destino, à enfermidade, à morte – não importa o nome. Junto com o sofrimento, ficaram para sempre a claridade, a doçura e a força que vão continuar emanando dessa dura experiência transformadora, e daquela figura travessa, inquieta, corajosa, de grandes olhos escuros que me fitaram tão sérios quando lhe perguntei brincando:
– Você não quer um dia desses dar uma volta comigo na minha vassoura de bruxa?luft1
Sem traço de dúvida ou hesitação, ela disse:
– Eu quero!
Menininha que iluminou este mundo tantas vezes feio e cruel, você vai continuar entre nós, na memória de sua passagem breve como a de uma lanterna mágica que vara o céu. Mas esse passeio eu fiquei te devendo. Um dia, quem sabe, quando todos formos poeira de estrelas.”

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Aprovada PEC que aumenta número de vereadores

Pessoal , trancrevo matéria publicada hoje no Jornal do Commércio. Infelizmente não estou com tempo disponivel para comentar. Mas deixo a enquete para votarem e discutirem com fervor !



Proposta que cria mais de 7,7 mil vagas foi aprovada na Câmara



BRASÍLIA – A Câmara dos Deputados aprovou ontem, em primeiro turno, a proposta de emenda constitucional que cria 7.709 novas vagas de vereadores. A emenda obteve 370 votos a favor, 32 contrários e duas abstenções. A matéria, que já passou pelo Senado, terá ainda de ser votada em segundo turno. Hoje o País tem 51.748 vereadores. O cálculo do número de novos vereadores foi feito pela consultoria legislativa da Câmara, com base na população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2009.
A vitória dos suplentes de vereador, que há mais de um ano lutam pelas novas vagas, ocorreu depois de intensa pressão. Parte deles passou a ocupar as dependências da Câmara de terça a quinta desde que o Legislativo voltou do recesso. Ontem, eles cercaram os parlamentares nos corredores e ocuparam as galerias da Câmara. Não foram agressivos. Apenas pediram apoio.
Embora o texto da emenda diga que os seus efeitos passam a valer a partir da eleição de 2008, a posse não deverá ser automática. Cada Câmara de município que aumentou a população nos últimos quatro anos terá de dizer se as novas cadeiras poderão ser ocupadas pelos suplentes. E há, no Congresso, a certeza de que o assunto terminará no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cujo presidente, Carlos Ayres Britto, já disse que não dará a posse aos suplentes.
O aumento das vagas também não vale para todas as cidades, porque depende do tamanho da população. Em São Paulo, por exemplo, não haverá nenhuma alteração. O município continuará com 55 vereadores, número estipulado para as cidades com mais de 8 milhões de habitantes, do mesmo modo, o Rio de Janeiro terá os atuais 51 representantes na Câmara de Vereadores.
A proposta de emenda constitucional cria novas vagas para vereadores, mas limita os gastos dos legislativos municipais com o pagamento da folha de pagamento dos vereadores e dos servidores. “A economia anual será de R$ 1,4 bilhão por ano”, disse o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), relator da proposta e defensor do pleito dos suplentes. Pela proposta, o percentual máximo das receitas tributárias e das transferências municipais para financiamento das câmaras cai de 5% para 4,5% nas cidades com mais de 500 mil habitantes.
O deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ) acredita que a emenda dos vereadores cairá no Supremo Tribunal Federal (STF) por inconstitucionalidade. “Essa emenda altera o resultado das eleições de 2008 e os vereadores já foram diplomados. As regras só valerão para 2012”, disse ele. Virando-se para os vereadores, que ocupavam as galerias, Biscaia disse: “Os senhores estão sendo enganados. Os senhores não vão assumir o mandato”.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Falha Nossa - Resultado do ENADE - FABEJA 2009

Chegamos ao fim desta semana com mais um resultado sobre a nossa cidade, Belo Jardim.
Dessa vez não nos surpreende vê que, infelizmente a nota do ENADE para a Faculdade de Formação de Professores de Belo Jardim não passou ultrapassou a nota 2.
O que consideravamos como melhor curso da instituíção , Biologia obteve nota 1. Em anos anteriores o mesmo curso apresentava nota 3. O curso de matemática apresentou também o mesmo resultado.
Já o curso de Geografia passou de nota 1 para 2.


Para uma melhor visualização clique em cima da figura que ela ampliará.


Agora gostaria de instigar o leitor a refletir sobre alguns pontos :

1 - Essa avaliação reflete realmente com as condições do curso ?

2 - Quais foram as propostas elaboradas pela faculdade no trabalho de melhoria para avaliação e que o afetou achegou a esse ponto referindo-se a alteração das notas ?

3 - Como anda a qualidade do ensino ou seja, os professores estão conseguindo desempenhar a sua função ? Existe capacitação ?

4 - Como é medido os trabalhos da faculdade de forma que, os alunos ao invés de ganhar conhecimento apresente um resultado insastifatório com base nas informações do IDD ( já que este tem por objetivo mostrar o quanto a faculdade acrescenta aos alunos ) ?

5 - Como é feito a avaliação dos professores pela faculdade ?

6 - Como é feito a cobrança dos conteúdos aos alunos que realizam provas em grupo (o ENADE é individual) e os professores saem da sala para conversa nos corredores ?


Para uma melhor visualização clique em cima da figura que ela ampliará.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

FIRJAN divulga ranking das melhores cidades brasileiras segundo IDFM (Índice de Desenvolvimento Municipal)

Essa pesquisa procura retratar alguns aspectos de qualidade de vida dos moradores, o acesso e qualidade a educação, saúde básica e a capacidade de gerar emprego e renda que segundo a diretoria da Firjan são primordiais para o desenvolvimento de uma localidade.
Os dados dessa pesquisa foram coletados mediante informações repassadas para os três ministérios com base ano 2006.
Os resultados para a nossa cidade foram os seguintes:



De acordo com os resultados Belo Jardim está no 34º lugar, ficando atrás de cidades como Bezerros, Arcoverde,Gravatá e Palmares.


Para entender esse cálculos foram levantando dados de variáveis que compõe distrbuídos nos seguintes itens :


> Emprego e Renda : Geração de emprego formal / estoque de emprego formal / salários médios do emprego formal.


> Educação : Taxa de matrícula na educação infantil / taxa de abandono / taxa de distorção idade série / percentual de docentes com ensino superior / média de horas aulas / resultado do IDEB.


> Saúde : Número de consultas pre natal, óbitos por causas mal definidas / óbitos infantis por causas evitáveis.



Qual é a vantagem da pesquisa ?


>>>>> O IFDM é anual, enquanto o IDH-M é censitário, desta forma, com o IFDM é possível ver o filme ao invés de fotos esparsas a cada dez anos do IDH-M. Assim, ganha-se além da aferição, uma ferramenta de gestão pública.
>>>>> O IFDM permite tanto a comparação relativa, quanto a absoluta entre municípios ao longo do tempo, uma vez que sua metodologia permite especificar se uma melhora relativa deveu-se a fatores específicos do município em questão ou a piora dos demais. O IDH-M não permite a comparação ao longo do tempo, na medida em que as notas de corte são determinadas pela amostra do ano em questão.
>>>>> O IFDM foi desenvolvido diretamente para avaliar o desenvolvimento dos municípios, com variáveis que espelham com maior nitidez a realidade municipal brasileira. O IDH-M, sendo uma adaptação do IDH desenvolvido para analisar os mais diferentes países, é mais limitado para analisar a realidade municipal do ponto de vista metodológico. Assim, o IFDM traz uma visão mais atualizada, com melhor utilização do conjunto de indicadores brasileiros em sua composição.


Com certeza a atual gestão poderá protejar melhor as ações para o seu governo e corrigir.Para acessar a todas as informações sobre a planilha do IFDM acesse aqui.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Resultado do IDEB - Belo Jardim

Publicado os dados sobre o IDEB de Belo Jardim. Como foi observado houve uma pequena queda na avalição sobre os anos iniciais cerca de 0,2 pontos. Em contra partida o resultado sobre os anos finais houve um aumento de 0,9 pontos percentuais. Equiparando isso quase para cerca de um avanço de 10 % no resultado. No mesmo quadro temos uma projeção para os anos seguintes.
Com a palavra agora o secretário de Educação Wilsinho, que poderá avaliar os resultados.